NATAL 2016

11 de janeiro de 2017 por keyimaguirejunior

Tenho muito orgulho dos cartões de Natal que recebo, reais ou virtuais. Além da lembrança em si, é uma tradição que deveria virar patrimônio cultural da humanidade: por eles, se avalia a quantas anda o espírito natalino, para não falar do gosto gráfico. Aqui vão os de 2016.

jhb-mmxvi

Começo com o do confrade Boguszewski – mereceria um post só para os cartões dele. Fica a sugestão para o “Penso, blogo existo”.

  babbonatale-titolo-2016-17

Do amigo Gianni Brunoro, que esse ano deu uma força para o Keynews, nos posts do Andrea Camilleri e no do Guido Crepax.

craciun-2016

Ainda mais longe, da romântica e lindíssima Romênia, o cartão da Amiga Helena Codina Dushoiu. Estivemos lá perto do Natal, é fora da minha capacidade de descrever.

bo-natalBem pertim, logo ali em Antonina, uma mensagem enigmática: como assim canudinho de maionese?! Com tudo o que tem de peixe por aí?!

ejc-natalEsse vem do exterior, Santa Catarina. Recado com ameaça: Edson, se você mandar esse cartão MAIS UMA VEZ, não te levo mais prá comer caranguejo!

ivens-2E do confrade Ivens, um recado importante: quem não tiver esperança e, principalmente, muita paciência nesse ano, vai se dar mal…

horan-2016

“O crepúsculo cinzento e quente de agôsto caíra sobre a cidade e uma cálida brisa, lembrança do verão, circulava nas ruas. As lojas estavam fechadas para o repouso de domingo e nas calçadas formigava uma multidão alegre e colorida. Como pérolas iluminadas, as lâmpadas brilhavam no alto dos postes sôbre a tessitura inquieta dos pedestres que, mudando de forma e matriz a cada instante, elevava na tepidez do crepúsculo um murmúrio incessante, monótono.”

Essa é a Dublin do J.Joyce – prá mim, uma das cidades mais misteriosas do planeta, capital do Eire e, mais que crepúsculos tepidos, os tem gelados e com vento polar cortante; a multidão ‘alegre e colorida’ enverga pesados sobretudos pintados de neve…

E de lá chega esse cartão, aquarela do arquiteto James Horan, intitulada “Astronomical Clock”, Prague, 2016.

REFERÊNCIA:

  • JOYCE, James. DUBLINENSES. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1970.
  • polonia
  • … e da longínqua, legendária, heroica e artística Polônia, o cartão sempre aguardado da Camila Celinski!

luz

… e por fim, a Luz dos vulcões da El Salvador que tem até nome referenciado ao Natal!

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: