TIGRE, TIGRE, TIGRE !!!

17 de agosto de 2014 por keyimaguirejunior

Segundo o maior pensador brasileiro, Millôr Fernandes, “quando Deus fez o homem, os outros animais só não caíram na gargalhada por uma questão de respeito”. E, se havia um animal com direito a rolar de rir no chão impoluído do Paraíso, esse era o tigre. Embora minha afinidade maior seja com os lobos, tenho admiração irrestrita por leões, ursos e, principalmente, tigres.

DSC_0010

O poema de William Blake conta com várias traduções – sendo que nenhuma me satisfaz, nem a minha…

THE TIGER

Willliam Blake – 1757/1827

Tiger, tiger, burning bright

In the forests of the night,

What immortal hand or eye

Could frame thy fearful symmetry?

In what distant deeps or skies

Burnt the fire of thine eyes?

On what wings dare he aspire?

What the hand dare seize fire?

And what shoulder and what art

Could twist the sinews of thy heart?

And, when thy heart began to beat,

What dread hand and what dread feet?

What the hammer? What the chain?

In what furnace was thy brain?

What the anvil? What dread grasp

Dare its deadly terrors clasp?

When the stars threw down their spears,

And water’d heaven with their tears

Did He smile His work to see?

Did he who made the lamb make thee?

Tiger, tiger, burning bright

In the forests of the night,

What immortal hand or eye

Dare frame thy fearful symmetry?

DSC_0008 Foto de Jonathan Campos, “Gazeta do Povo”, 10/08/14. Dá prá ser mais bonito?!

        “Um homem está passando pela trilha. Apesar de distante, o tigre escuta o som de seus passos, que identifica com facilidade. Imediatamente retrocede e se esconde, imóvel na posição, até que a figura familiar passe. Se lhe interessasse, seria uma presa fácil mas, como a maioria de sua raça, ele não come carne humana. Mesmo faminto, seu instinto lhe diz para deixar o homem passar. Quando os passos se diluem na noite, o tigre recomeça sua busca.”  (Courtney)

        Parodiando José do Patrocínio, todo animal que ferir ou matar um humano, o faz em legítima defesa, cumprindo a lei natural da sobrevivência – e as leis da Natureza são mais importantes que as humanas. Toda agressão por parte de um animal não é agressão – é defesa. José do Patrocínio também era sensível à causa dos animais, tendo como alcunha “o Tigre da Abolição” – perfeito, portanto, para uma tomada de posição contra jardins zoológicos, cativeiros, circos com animais e outros produtos da arrogância humana.

LEITURAS TIGRINAS

– COURTNEY, Nicholas. The tiger, symbol of freedom. London, Quartet, 1980.

– QUILLER-COUCH, Arthur (org). The Oxford Book of English Verse, 1250/1918. Oxford, Claredon, 1939.

– KIPLING, Rudyard. O livro da Jângal. São Paulo, Cia.Ed.Nac.,1961.

– WATTERSON, Bill. A essência de Calvin e Haroldo. Campinas, Cedibra, 1989.

– ANDERSON,Kenneth. Na selva indiana. São Paulo, Flamboyant, 1965.

Scan

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: