BURACOS NEGROS NA HISTÓRIA DA ARQUITETURA NO PARANÁ – 7

2 de maio de 2013 por keyimaguirejunior

Imagem

 Contribuição da etnia alemã

Provavelmente, é a primeira etnia a dar sua contribuição à paisagem arquitetônica de Curitiba, fazendo-a emergir do vocabulário luso-brasileiro que, à época, dominava a totalidade das cidades brasileiras.

Segundo David Carneiro, isso acontece já na primeira metade do século XIX. Há bastante dificuldade documental quanto a essa época. Não há registros de projetos na Prefeitura nem notícias mais apuradas. Somente uns poucos remanescentes podem ser atribuídos aos bauentanemer, mestres de obras, construtores inclusive de casas de madeira. No entanto, a Arquitetura é o melhor documento de si mesma, e esses remanescentes localizados na maioria entre o Setor Histórico e o Cemitério Municipal, podem revelar muito sobre a cidade e sua individualidade. Há tipologias evidentes à simples observação, mas o pouco já pesquisado sôbre casas nessas áreas, permite estabelecer uma amostragem mínima para um trabalho.

Já a partir da virada para o século XX, temos a atuação dos “engenheiros-arquitetos”, com projetos registrados na Prefeitura, vários deles identificáveis como descendentes de alemães. Há ainda uma vertente a ser explorada e que pode ser importante, qual seja, os fornecedores de materiais de construção – no centro ou fora dele – também sempre com nomes alemães: Hauer, Strobel, Haisi.

Produzem uma arquitetura de caráter urbano, tendendo para a verticalização e com características funcionais diferenciadas dos padrões luso-brasileiros. Sua atuação diminui e se extingue com as construções palacianas da elite ervateira, de influência italiana. Mas também com os ares de modernidade perceptíveis nas construções art-déco dos anos trinta.

O estudo dessa contribuição pode concluir-se com Frederico Kirchgassner e sua Casa Modernista. Outras obras do arquiteto poderão e deverão ser incluídas nessa conclusão do trabalho – há pelo menos mais três – mas a comparação crítica com a Casa Warchavchic em São Paulo, poderá demonstrar que em Curitiba foi feita a primeira casa modernista do país. Como facilitador, existe documentação acumulada, fotografias e desenhos.

Bibliografia preliminar

1 – BRUAND, Yves. Arquitetura Moderna no Brasil. São Paulo, Perspectiva, 197….

2 – MARTINS, Wilson. Um Brasil diferente. Rio de Janeiro, T.A.Queiroz, 1989.

3 – MARTINS, Romário. Terra e gente do Paraná. Curitiba, E.G.Paranaense, 1944.

4 – VICTOR, Nestor. A terra do futuro. Rio de Janeiro, Jornal do Commercio, 1913.

5 – WANKE, Eno Teodoro. A chácara Schaffer. Rio de Janeiro, Plaquete, 1996.

Foto: casa na esquina das ruas Trajano Reis com Treze de Maio, Curitiba

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: