BURACOS NEGROS NA HISTÓRIA DA ARQUITETURA NO PARANÁ – 5

30 de abril de 2013 por keyimaguirejunior

Água branca

AS IGREJAS DE MADEIRA

Mesmo considerando alguns trabalhos recentes, patrocinados pelas leis de incentivo federais, há muito a ser identificado e estudado nas arquiteturas produzidas sob influência do ciclo econômico da madeira em território paranaense.

Dentro dessa vasta herança cultural, há universos localizados – por exemplo, as casas de madeira de São Mateus do Sul – e outros dispersos por todo o território do estado, como é o caso das igrejas.

A identificação da contribuição ucraniana, supriu uma importante parte dessa lacuna. Mas essa mesma pesquisa revelou que ainda há muito a ser localizado e – principalmente – estudado. E essa é a grande dificuldade para se realizar essa pesquisa: um recorte viável tecnicamente, identificação e mapeamento que permitam um método de trabalho. Método que deverá ser eficiente no sentido de permitir uma idéia não-genérica, mas exata, de tudo o que as comunidades paranaenses construíram como espaços de devoção.

Existem axiomas a serem evitados, no que se relaciona às contribuições étnicas. Dois exemplos comuns são atribuir o campanário separado da nave aos italianos; e o campanário em torre central, aos poloneses.  Embora uma pesquisa possa confirmar o acerto dessas formulações, até o momento nada há que permita afirmação segura.

O aspecto mais relevante do ponto de vista patrimonial, além da feitura artesanal e da tecnologia construtiva em si, é serem empreendimentos espontâneos de comunidades e de colônias. Em seu isolamento – em alguns casos relativizado pelo crescimento das cidades, em outros permanecendo dignamente – construíram com recursos próprios e mantiveram seus templos impecáveis ao longo de décadas, com esforço e dedicação.

Os tempos atuais – vale dizer, consumistas e neoliberais – ameaçam de rápida desapropriação, quando não sumária desaparição – essas construções carregadas de vida e da história dessas comunidades. À globalização cultural interessa, como forma de domínio, a eliminação dessas peças importantes da cultura regional, submergindo-as num ambiente de mediocridade arquitetônica.

Bibliografia preliminar

1 – BATISTA, Fábio Domingos, ROCHA GASPAR, Marialba & MAGALHÃES CORREA, Sandra Rafaela. Igrejas ucranianas, arquitetura da imigração no Paraná. Curitiba, Instituto Arquibrasil, 2009.

2 – BORTOLINI NETO, Pe.Emilio. Restauração da Igreja do Coração de Jesus em Vera Guarani. Porto Alegre, D.Bosco, 2008. Folder.

3 – LAROCCA Junior, Joel et allii. A casa eslavo-paranaense. Ponta Grossa, Larocca & Associados, 2008.

4 – MIRANDA, Nego & WOLFF DE CARVALHO, Maria Cristina. Paraná de madeira. Curitiba, Petrobrás, 2005.

5 – MIRANDA, Nego & WOLFF DE CARVALHO, Maria Cristina. Igrejas de madeira. Curitiba, Cultural Office, 2005.

Foto: Igreja de madeira na Água Branca, Paraná, etnia polonesa

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: